Monday, May 21, 2018

Rant | Stop supporting fat people!


Beach days are here -- this means we’ve arrived to that time of the year where people start to be really body conscious -- we look in the mirror and we  don't like to see all the lumps and bumps that we've accumulated during winter. And, from what I've seen, people do one of two thing: either they start working out and eating better, or they they start making excuses and writing stupid Facebook posts stating how great they feel in their fat-ass bodies.
And this is me ranting about this second group of people: C’mon girls, be honest, I can’t believe that you look in the mirror and that you actually like what you see. I just can’t believe that. And for me all those posts saying that you love yourself and that you are beautiful no matter what size you wear... that all just a bunch of BS... well yeah sure I agree that size doesn't matter, we all have different body' sizes and shapes, but for god's sake you need to at least have some what of an healthy height!
This annoys me so much because I see really overweight girls, some close to obese, saying this type of stuff and other girls just supporting that. It’s completely stupid! I truly believe that they are just lying to themselves and to everyone around them. I don’t believe that when they look at mirror and see their but full of cellulite, that they are genuinely OK with that. It’s impossible. I’m not saying we should all have that ultra thin Barbie like body, but at least we should try to be healthy. Being overweight is an eating disorder too, no just anorexia. Stop making fat people feel too good about themselves! It’s the same as saying to an anorectic girl that she looks really good like that. It's just supporting an unhealthy situation.


22 comments:

  1. Se a pessoa está saudável, não é ter uns quilinhos a mais que a prejudica. Sure, há pessoas que estão obesas e vêm com essa conversa de se amarem como são, como desculpa para não terem que se esforçar. Acho que, mesmo gostando de nós, aceitando-nos, isso não significa que não se queira estar melhor, perder peso, ser mais saudável. Por mim falo. Ainda há pouco tempo escrevi sobre isso. Estou com peso a mais, embora ainda dentro do saudável, e gosto de mim como sou, mas gostaria mais se estivesse mais magra. Não vou mentir. Acho ótimo que as pessoas se amem como são, mas isso não pode ser desculpa para não tentarem ser melhores, mais saudáveis. Não se trata de ser gordo ou magro, vestir 32 ou 40, ser igual às meninas das revistas... Trata-se de, mesmo sabendo que nunca seremos umas modelos, fazermos o melhor com aquilo que temos. Se quisermos, claro.

    Mas também não concordo com fat shaming. Cada um é como é. Não me incomoda nada que as pessoas sejam magras ou gordas, é a vida delas, façam o que quiserem. Se são gordas e preguiçosas, problema delas. Se são magras e loucas pelo ginásio, problema delas também. Não me interessa nada o que os outros fazem com os próprios corpos.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Não estou a falar de ter uns quilinhos a mais. Estou a falar de miúdas perto da obesidade... que andam por aí a dizer que não há nada de errado em ser assim! É mentira, porque há! Também não concordo com o fat shaming obvio, mas não acho bem dizerem “ah estás tão bem assim!!”

      Delete
  2. E... Acabaste de me perder com esta publicação. Tudo o que li neste texto resume-se na incoerência de uma pessoa que quer dar fat shaming mas esconde-se atrás de "sermos saudáveis" para o fazer. Afinal de contas, onde é que ficas? Na tua incredulidade no que toca a mulheres gostarem de si mesmas em frente ao espelho porque God forbid, uma mulher com peso a mais gostar do que vê, ou na tua "aceitação" de que todos nós temos diferentes tamanhos e feitios? Incoerente.

    Fun fact: não estás a dar novidade nenhuma às pessoas obesas e/ou com peso a mais que elas são gordas. Nenhuma das pessoas obesas e/ou com peso a mais estão a promover uma vida de obesidade quando apoiam outras pessoas obesas e/ou com peso a mais. Todas as pessoas obesas e/ou com peso a mais têm noção que têm que comer de forma mais saudável, fazer exercício. Não sabes o que está por detrás da motivação, personalidade e objectivos dessas pessoas. Não sabes se essas pessoas têm doenças que as impossibilitam de perder peso. Não sabes se essas pessoas, ainda que com ~quilinhos a mais~, estão dentro dos parâmetros do saudável porque não és tu que estás por dentro do seu estado de saúde, mas sim elas. E por último, não és tu que determinas o que uma pessoa deve ou não amar, se não aquilo que tu e apenas tu queres amar.

    Não posso dizer que isto não foi pessoal, porque foi. Tenho peso a mais e tenho construído todo um caminho em direcção ao amor-próprio mesmo com o corpo que tenho. E com a plena noção, mas mesmo muita noção, de que não sou saudável e que quero muito sê-lo. Publicações como estas? Destroem mais do que constroem. E lamento desde já a minha postura arrogante, mas é a reacção que te dou perante uma publicação que toca (ainda) demasiado perto do meu coração.

    Do make fat people feel too good about themselves. Create a conscious path towards an healthy lifestyle, but not because it makes you thin. Thin doesn't always equal to healthy. Just like fat doesn't always equal to unhealthy. And most importantly: love yourselves, otherwise none of that bullshit will matter. A honesta opinião de uma pessoa que está a passar por isso.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Acho que não passei bem o meu ponto. Eu não tou a acredito simplesmente que uma mulher ou homem se sinta mesmo verdadeiramente bem com muito peso a mais e nao acho saudavel. Não tou a dizer para andares aí a chamar gorda às pessoas — tou a dizer que não deves incentivar e apoiar terem excesso de peso. Tal como não irias apoiar uma miúda anoréctica!

      Delete
    2. E eu estou a dizer que as pessoas não incentivam o excesso de peso, nem o apoiam. Há uma diferença entre encorajar uma pessoa a ser obesa e mostrar-lhe que independentemente do peso que tem, é aceite/amada/apreciada tal como ela é. Criar espaços de bem-estar onde o amor próprio reine é meio caminho andado para a pessoa sentir-se bem e, porventura, continuar a caminhar em direcção a um estilo de vida mais saudável.

      Mais uma vez, volto a falar da minha experiência. Do meu testemunho. E digo-te que cada vez que vou à praia, penso sempre que as pessoas que estão à minha volta vão estar a olhar para mim e para o meu "fat-ass body", como tu tão bem descreves. E essa dúvida constante de achar que estão todos a olhar para mim, na minha depressão e na minha ansiedade, não me deu nunca forças para lutar contra o excesso de peso. Deu-me vontade de comer mais e calar as emoções que vêm cá dentro.

      As pessoas não devem emagrecer ou engordar por causa da estética, a meu ver, mas por causa da saúde. Se uma pessoa com excesso de peso se chega à frente e diz "eu gosto de mim tal e qual como eu sou", nem tu nem ninguém têm o direito de dizer "isso é impossível, já te olhaste ao espelho?". O que tem de acontecer, e mais uma vez isto vem da minha experiência pessoal, é uma conversa que vai em torno de "ainda bem que gostas de ti, mas acho que devias gostar ainda mais ao pensar na tua saúde". Uma pessoa anorética, uma pessoa obesa, uma pessoa com distúrbios alimentares, em grande parte dos casos - se não na sua totalidade - começou com falta de auto-estima. Com olhar-se no espelho e não gostar do que vê, seja por causa de comentários, por causa de estereótipos sociais, o que quer que seja. E todos os movimentos que existem em torno de amor próprio e aceitar o nosso corpo não têm que ver com apoiar a obesidade, mas apoiar a aceitação de que somos todos diferentes e que todos merecemos ser amados. Sem essa base, por norma, dietas e/ou jornadas para aumentar/perder peso não funcionam.

      Acho que devias pensar bem antes de publicares textos como estes. Tens que pensar que, enquanto blogger, tens uma audiência que muito mais do que discordar ou concordar com a tua opinião, pode ficar magoada com ela. Tens todo o direito de expressar a tua opinião, obviamente, mas acho que o deves fazer com conta, peso e medida. Eu percebo onde é que tu queres chegar - à ideia de que temos que ser saudáveis e que pessoas obesas não são saudáveis, mas a forma como chegaste até essa mesma ideia foi através de palavras que prejudicam mais do que ajudam.

      Delete
    3. Acho que pela tua experiência pessoal sentes-te mais afectada pelo meu texto do que era suposto. Não te condeno. E sinceramente sabes como se muda um comportamento errado? É repreendendo. Podemos não concordar e tudo bem. Mas só me das razão quando dizes que vais a praia e tens problemas com as pessoas a olharem para ti. E sabes porque é que olham (se olham)? Não é estares gorda per se, é mesmo não estares saudavel. O fundo da questão é não se pode motivar ninguém a manter-se gordo. Se tu estas selfconcious tens de fazer alguma coisa! Se te dissessem a vida toda que estavas bem, achas que ias querer mudar?

      A minha opinião é minha de dar. Não vou deixar de a dar porque pode ofender as pessoas. Eu percebo que tenhas levado a peito e te sintas ofendida e apesar não ser minha intenção, acho que devias pensar duas vezes antes de protegeres este tipo de comportamentos.

      Delete
    4. Pois claro que me sinto afectada com o teu texto. Já expliquei mais acima o porquê, e não acho que valha a pena alongar-me mais. Só posso lamentar a tua linha de pensamento, pois toda a minha vida tive que lidar com pessoas como tu, que acreditaram que a repreensão era a chave para mudar as coisas. Não creio que captaste bem aquilo que quis dizer, pois faço o meu comentário à base de amor próprio e tu achas que isso significa que não quero que as pessoas mudem de todo. A continuação desta conversa, para mim, só me faz continuar com a ideia que mascaras o teu fat shaming com "ser saudável". E não é uma questão de ofender as pessoas, mas sim de as magoares; essa sim é a diferença que se calhar não consegues captar. Não me sinto melhor ao tecer comentários em relação aos corpos das outras pessoas, mesmo sabendo que existem pessoas com muito mais peso que eu. Sei que algumas dessas pessoas, por exemplo, amam-se muito mais a elas mesmas do que eu me amo a mim, e sim, protejo esse tipo de comportamento com todo o gosto, pois esse tipo de comportamento chama-se amor próprio e deve ser sempre encorajado.

      Podia continuar a debater isto contigo muito mais tempo, mas não vale mesmo a pena. Eu sei que me vais dizer algo na linha de "espero que um dia mudes a tua forma de pensar". Eu só espero que tenhas uma visão mais ampla daquilo que estou aqui a tentar dizer. E lamento tudo isto, do fundo do coração. Mas estou de consciência tranquila, porque sei que na minha jornada para ser mais saudável, vai tudo ser por mim e pelo amor que tenho a mim mesma e não porque me repreenderam e obrigaram a fazê-lo. Beijinhos

      Delete
    5. Não quis fazer fat shaming, e se quisesse não o mascarava. Eu nasci nos Estados Unidos e durante toda a minha infância vi crianças super obesas que hoje são adultos enormes. E que não são saudáveis. Não há nada de saudavel naquilo. Eu quero lá saber se és gorda ou magra, só não venhas para o fb dizer que é ok ser obeso, porque não é. Isso irrita-me percebes? E não é uma questão de amor próprio. A meu ver não é. Eu acho que ninguém gosta de se ver gordinho e tu própria o admites. Só não gosto de ver pessoas a dizer “ah não precisas nada de perder peso tas mesmo bonita assim” quando isso está só a incentivar essa pessoa a não querer ser saudável. Eu vejo isto todos os dias quando abro o face ou insta.

      Delete
  3. Tudo o que for em excesso ... está errado!
    Gosto do olhar ... bj

    ReplyDelete
  4. Tudo o que for em excesso ... está errado!
    Gosto do olhar ... bj

    ReplyDelete
  5. Eu emagreci 18kg porque estou com um problema da saúde mas sinto-me muito melhor com menos peso, os pés então nem se fala, eu não conseguia usar saltos e agora não me faz diferença nenhuma. Mas sei que é muito dificil mudar hábitos de anos. Tivessem o meu problema que emagreciam todos!!!!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ReplyDelete
  6. Concordo contigo, tenho pena que as pessoas não tenham entendido o teu ponto de vista. Não é dizer que as pessoas são gordas, porque querem e que se lixem por causa disso. Acho que é mais explicar às pessoas que não é saudável e que se não se deve incentivar dizendo que o plus size é exelente.

    ReplyDelete
  7. Tenho que concordar com o teu ponto de vista. Acredito que deve existir um equilíbrio. Eu sou bem magra mas não anoréxica e mesmo assim tento manter um peso saudável e já ouvi muitos comentários que estou muito magra e tal. Vejo tantas pessoas bem gordas, com um peso muito menos saudável do que o meu, e o mais interessante é que muitas vezes as pessoas tentam fazê-las sentirem se bem com o peso que têm. Nunca vejo isso acontecer com pessoas muito magras. Nenhum dos extremos deve ser incentivado, e isso não quer dizer que se deva fazer comentários ofensivos sobre o peso das pessoas, mas também não se devem fazer comentários de incentivo.

    ReplyDelete
  8. Eu sinto-me bem como estou. Peso Ok, estruta Ok, contudo estrias, celulite e afins incomodam-me! Mas devemos de gostar de nós como somos. E se tivermos muito magras devemos pensar: isto não é bom...e vice-versa
    nem 8 nem 80 como se diz :)
    BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM

    ReplyDelete
  9. também acho que pessoas fora do peso normal deviam ter cuidado. Eu pessoalmente assusta-me um dia alguém me dizer que vou ter que cortar em tudo porque entupi veias. mas há pessoas que não têm dinheiro para obter essa ajuda inicial e acho que a culpa é em parte, de todos nós como sociedade que não promove um estilo de vida saudável. afinal de contas um hambúrguer no mcdonalds é muito mais barato que um santes saudavel ou um +rato com verduras 8)

    ReplyDelete
  10. Como não entendo inglês assim a ponto de ler um texto... passo por aqui só pra desejar um ótimo final de tarde ;)

    Beijo sua linda !

    | Afonso Padilha . Detalhadamente - Instagram |

    | O Blog Que Não é Blog - Instagram |

    | Uni Colorato - Instagram |

    | O Blog Que Não é Blog |

    ReplyDelete
  11. Eu sei que nao queres criticar ninguem e que apenas queres chamar à atenção das pessoas para os excessos, mas ha casos (e eu conheço alguns) que realmente se sentem bem com o que vestem e usam. Gostava apenas de recomendar uma ou outra música que descobri ha algum tempo e que, apesar de terem sido lançadas num outro contexto, penso que se adaptam bem aqui:
    Try, Colbie Calat
    What a girl is, Dove Cameron
    E verdade que nao devemos cometer excessos, mas se somos felizes, penso que ninguém nos pode influenciar. Afinal de contas, cada um é como é e nao podemos mudar isso...

    Beijinhos,
    Ella
    moonlightfelicitydestin.blogspot.pt

    ReplyDelete
  12. Body acceptance is a good thing, but we do cross a line into insanity.

    ReplyDelete
  13. I for one think that everyone has the right to feel beautiful and to love themselves, however when they risk their health in whatever way it stops being beautiful and those people really need to be helped to get better. Plus size people used to be bullied a lot for being overweight, but today I feel like people who are skinnier are getting mean comments on how they're not beautiful because they have no curves, and that is equally hurting.


    http://www.couture-case.com

    ReplyDelete
  14. discordo de ti quando dizes que é impossível alguém ter excesso de peso e gostar de ser assim pois há gostos para tudo e acredito sinceramente que existam pessoas que gostem do seu corpo mesmo não sendo o mais saudável. eu já fui mais gorda e odiava mas acredito que nem todos sejam assim.
    no entanto, e aqui concordo totalmente contigo, muita gente aproveita-se disso para defender o facto de serem preguiçosos e se alimentarem mal, dizem que o fazem porque gostam de ser assim e recusam mudar os seus hábitos. e depois a sociedade ainda encoraja esse tipo de comportamentos. acho que todos se devem sentir felizes com o seu corpo, óbvio que sim, no entanto todos devem fazer um esforço por criarem hábitos saudáveis, só os vai ajudar um dia...
    admiro-te por teres abordado este tema e principalmente por teres partilhado a tua opinião que nos dias de hoje é tão controversa. o politicamente correto já enjoa...
    beijinhos :) https://ratsonthemoon.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  15. Bom também não estou totalmente de acordo.
    Quando tinha dez anos pesava mais 20 quilos do que agora. Não se falava de obesidade infantil, mas se falasse eu encaixava. No entanto, achava-me linda e maravilhosa. Adorara tirar fotografias. Sentia-me super feliz. Ser gorda não era um problema.
    Perdi os vinte quilos e a auto-estima.
    Gosto bem menos de mim agora e vejo muito mais defeitos. Os gostos são mesmo muito pessoais. Não acho que essas campanhas visem apoiar a obesidade mas sim apoiar as pessoas, que é o que realmente importa. Mostrar que não temos todos de ser barbies para sermos aceites ou fazermos parte. Que não precisamos todos de ter corpos esculturais, que há beleza em outras coisas. Não apoio de forma alguma a "obesidade como estilo de vida" mas não concordo mesmo que seja disso que se esteja a falar. Já para não falar que entre ser gordinho ou obeso vai um grande salto. Ainda não aceito bem isso, a verdade é essa, mas não temos todos de ser todas modelos.

    ReplyDelete
  16. Que post sem noção.

    Mais um post "health troll" em que a suposta motivação é uma falsa preocupação com a saúde das pessoas com excesos de peso, quando no fundo não é nada disso. Simplesmente é mais uma desculpa para fazer "fat shame" (disfarçada de preocupação), porque ah as pessoas gordas fazem-te mal à vista, não é?

    Vou tentar explicar porque é que isto é problemático de uma forma sucinta:

    1) Não há forma de avaliar a saúde de uma pessoa pelo peso desta, pela celulite ou pelas estrias. Sabes quem é que tem celulite? Serena Williams, e uma data de atletas, modelos e atrizes que simplesmente têm photoshop do lado delas. Mulheres lindíssimas e cheias de força e histórias de vida mas que para ti perdem o "valor" porque não têm a pele do rabo lisa.

    2) Uma pessoa magra não é automaticamente saudável. Se queres fazer "shame" a pessoas pelas suas escolhas de vida, fá-lo também a quem é magro mas fuma, bebe álcool, come açúcares processados.

    3) Há vários problemas de saúde que causam excesso de peso e que vão para lá de abrir a boca mais do que é suposto. Recomendo-te a leres sobre hipotiroidismo ou PCOS por exemplo. Deve uma pessoa com um problema de saúde sentir-se mal com o seu corpo só porque não encaixa numa imagem restrita da "mulher ideal"?

    4) Os movimentos de "fat acceptance" passam por isso mesmo: aceitação. Porque as pessoas gordas são gozadas, espezinhadas, mal-tratadas todos os dias. Porque o mundo diz-lhes todos os dias que ser gordo é feio, que ser gordo é mau, nojento. Esses movimentos NÃO vendem a gordura como algo saudável (não confundir com movimentos "Health at Every Size" que sim, são prejudiciais. Mas nada a ver com fat acceptance). Ser gordo não é ser preguiçoso nem passar o dia no McDonalds a enfardar. Ser gordo passa por teres todas as tuas escolhas no dia a dia julgadas pelos outros: a roupa que vestes, a roupa que não vestes, a comida que comes, a comida que não comes, o exercício que fazes,que não fazes... por tudo! Muitas pessoas que nunca foram gordas como tu simplesmente não têm empatia nenhuma e acham que é fácil, que é uma escolha. Mas os movimentos fat acceptance não dizem que uma pessoa gorda é a boazona. Dizem simplesmente que uma pessoa gorda pode e deve sentir-se atraente com o que tem, que pode trabalhar com o corpo que tem em vez de ter vergonha de o mostrar, que tem o direito de se divertir em vez de se esconder em casa! O movimento fat acceptance não vem dizer que a celulite é atraente (ou mais atraente que a falta dela), mas vem-te dizer que te podes sentir atraente APESAR disso e que o teu valor não é determinado por todos esses factores. Trata-se de um movimento com o intuito de fazer as pessoas sentirem-se bem com o próprio corpo independentemente do peso, da saúde, e de tudo o resto - não percebo como é que isso pode ser mau. Não acho que só uma pequena percentagem da população (magra) tenha esse direito.

    Há tantas mas tantas coisas que uma pessoa pode dizer em relação a isto, mas não vale a pena se tu não te quiseres educar. Se estiveres interessada, recomendo-te a leres alguns artigos, a investigar, e talvez um dia consigas mostrar algum tipo de empatia. Até lá, perdeste uma leitora. Cumprimentos :)

    (Falo isto como alguém que nunca teve excesso de peso e que faz exercício regularmente. Simplesmente sei ter empatia e tenho capacidade de aprender e de investigar sobre as coisas.)

    ReplyDelete

Thank you so much for you comment!
Follow me:
TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook